"Não me dê esperanças"

Se você, como eu, é fã da Marvel e dos Vingadores, deve se lembrar dessa frase, dita pelo Clint/Ronin, "Não me dê esperanças". E essa frase será o cerne de nosso artigo.


Por volta dos anos 50, o professor universitário Curt Richter, propôs o seguinte experimento, colocou 12 ratos em alguns recipientes com água, de modo que o rato não conseguisse sair do pote, e então deixaram as animais nadando para não se afogarem, até que, ao se passarem 12 minutos, os cientistas observaram que estavam perdendo as forças e estavam prestes a morrerem afogados, então eles interviram, regatando os ratos dos potes com água, secaram eles e, após um período, colocaram-nos novamente nos potes de água, e repetiram o experimento. Entretanto, desta segunda vez algo interessante aconteceu, o tempo que os ratos aguentavam, nadando para sobreviver, aumentou consideravelmente, o tempo médio que antes era de 12 minutos, agora passara a ser 60 horas, um aumento de mais de 30.000%. Após os testes, os cientistas chegaram à conclusão de que o fator primordial para a grande acentuação, na média do tempo de sobrevivência, foi esperança.

Na primeira etapa do teste, os ratos foram resgatados da morte, pelos cientistas, quando a segunda etapa foi iniciada e os ratos foram recolocados nos potes com água, eles tinham um motivo à mais para continuarem nadando por mais tempo, pois foi reforçado, em suas mentes, que seriam salvos, como na primeira vez, essa expectativa de um novo resgate, os fez persistir por muito mais tempo, pois tinham essa crença em suas mentes, eles tinham essa esperança.


A psicologia positiva trata esse exemplo como a importância que a esperança e o otimismo podem afetar a forma com que as pessoas lidam com as adversidades ao redor, mostrando que esses sentimentos pode fazer com que, grande parte das pessoas, consigam alcançar algo à mais, conseguem ir além do que em um estado "normal" não iriam conseguir.


Por: Gabriel Felipe



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo